quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

"Rio Jaguaribe", de Lau Siqueira - Meio Ambiente, Poesia e Direito

Certa feita o professor Herman Benjamin afirmou que o Direito Ambiental é o mais poético de todos os ramos da Ciência Jurídica - afirmação, aliás, com a qual eu concordo inteiramente. Para o estudioso, o verdadeiro jusambientalista precisaria ser, ao menos um pouco, poeta e/ou sonhador. Com efeito, imaginar um Brasil sustentável para algo mais viável na arte do que na vida. Mas a arte também pode ser um contra-ponto a todo esse estágio de degradação que infelizmente predomina. Nesse diapasão, o belíssimo poema de Lau Siqueira, retirado do seu blog (http://www.poesia-sim-poesia.blogspot.com/), é um bom retrato disso:

rio jaguaribe
(para Valeska Asfora, que ama o rio Jaguaribe)

a palavra
p a r a l e l e p í p e d o
cabe inteira no poema

somente não cabe
no leito de um rio

onde também não cabe
a palavra lixo e a palavra
shopping

no rio cabem apenas
os movimentos da água
e dos peixes

no rio cabem as margens
e a cultura ribeirinha

emblema da vida
no ecossistema

só não cabe a sua
indiferença

(nem a minha)

lau siqueira – poema vermelho

Nenhum comentário: